Gerenciamento de conflitos

Os conflitos sempre ocorrem dentro de uma empresa quando se trabalha com pessoas diferentes que possuem pensamentos diversos e que acabam querendo que a sua interpretação seja a melhor para a solução de qualquer problema.

 
gerenciamento de conflitos deve ser constante, principalmente quando se trabalha com egos. Um profissional pode ter todas as características e habilidades para desempenhar bem suas atividades mas, se colocar o seu ego acima das necessidades da empresa, precisa ser trazido ao mesmo nível que os outros colaboradores, colocando-se na mesma posição em que possa ver que, à frente do seu ego, estão as necessidades empresariais.

Para se trabalhar bem com conflitos é preciso ter consciência de que todas as pessoas acabam tendo percepções diferentes de um mesmo problema, colocando nelas argumentos que, muitas vezes, soam como pessoais. Assim, no gerenciamento de conflitos é importante mostrar como as coisas realmente são, sem que haja na análise a percepção pessoal e sim as profissionais e técnicas, que realmente são as ferramentas que irão solucionar o problema.

Para se trabalhar bem com conflitos é preciso ter consciência de que todas as pessoas acabam tendo percepções diferentes de um mesmo problema, colocando nelas argumentos que, muitas vezes, soam como pessoais. Assim, no gerenciamento de conflitos é importante mostrar como as coisas realmente são, sem que haja na análise a percepção pessoal e sim as profissionais e técnicas, que realmente são as ferramentas que irão solucionar o problema.

O profissional que trabalha querendo impor pontos de vista de forma intransigente geralmente acaba trazendo as discussões com os colaboradores da mesma equipe, ou mesmo com clientes e fornecedores.

Para lidar com o gerenciamento de conflitos, apresentamos neste artigo as 5 dicas principais para que o gestor de qualquer processo possa minimizar os conflitos e trabalhar para unir os membros de sua equipe:

Ouça sempre os dois lados da questão

Para poder resolver qualquer conflito, é preciso que o gestor ouça os dois lados, conheça os pontos de vista conflitantes entre os profissionais envolvidos. Só depois é que pode fazer uma boa análise de tudo o que ouviu, buscando a melhor solução e apresentando-a de maneira a não confrontar nenhum dos lados. É preciso trabalhar com a razão, mostrando os prós e os contra de cada um dos pontos de vista e, preferencialmente, fazendo com que os profissionais envolvidos cheguem a uma conclusão, a um ponto comum, que possa solucionar o problema.

Empatia é a melhor condição para gerenciar conflitos

A empatia nada mais é do que a habilidade de se colocar no lugar da outra pessoa. Com a empatia, o gestor consegue compreender melhor as razões apresentadas pelos profissionais em conflito e porque chegaram às conclusões que apresentam, mesmo que elas não atendam as melhores condições para resolver os problemas em que estão envolvidos. A partir daí, é necessário contra-argumentar, apresentando sempre as razões mais ligadas à solução da questão que deve ser resolvida, tomando as posições com relação a uma solução e não à continuidade do conflito.

Aja sempre de maneira racional

Um dos grandes problemas que o gestor de conflitos pode enfrentar é a contaminação emocional em momentos de discussão mais acaloradas. Quando tiver de enfrentar um conflito, sempre aja de maneira racional, buscando trazer os profissionais ao seu nível, ao seu plano. Qualquer pessoa, de forma natural, acaba respeitando mais uma pessoa que mantém o autocontrole do que alguém que toma partido.

Busque estimular o diálogo

As partes em conflito precisam apresentar bem os seus argumentos, e o gestor de conflitos deve fazer com que isso seja produtivo, feito de maneira calma e tranquila, dando voz a cada um em seu momento, apresentando os dados que os levaram às conclusões. Os dois lados precisam conhecer todas as informações alheias, aproveitando tudo o que for possível para a intermediação.

Nunca se omita durante um conflito

O gestor de qualquer equipe nunca pode se eximir de buscar uma solução para os conflitos, não pode deixar que o problema se resolva sozinho. Se, após todos os argumentos, não encontrar uma solução, a melhor maneira é tomar uma decisão e colocá-la de forma impositiva, como chefe, e encerrar o problema. Quando a situação se resolver, aí sim poderá convocar novamente os conflitantes e com eles conversar, mostrando porque tomou a decisão e apresentando-lhes o que poderia ter ocorrido se tivesse tomado um partido ou se tivesse se deixado levar pelas considerações de ambos.

O líder de qualquer equipe precisa ter em mente que o equilíbrio é o melhor caminho para tratar os conflitos. Mostrando-se calmo, racional, mantendo sempre uma postura voltada para o profissionalismo, irá conseguir o respeito de seus liderados e reduzir os conflitos em sua equipe de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *